O Barquinho / Continente Perdido

Dia de luz, festa de sol
e um barquinho a deslizar
No macio azul do mar.
Tudo é verão e o amor se faz
Num barquinho pelo mar que desliza sem parar
Sem intenção, nossa canção
vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz... Dias tão azuis...

Volta do mar, desmaia o sol,
E o barquinho a deslizar,
É a vontade de cantar...
Céu tão azul, ilhas do sul,
E o barquinho é o coração deslizando na canção
Tudo isso é paz, tudo isso traz
Uma calma de verão, e então
O barquinho vai, e a tardinha cai

Quem são esses índios
Dançando ao som de mil tambores?
Que estranho segredo
Juntou no sangue as quatro cores?
Cultivam o dom de rir pra não chorar
E se alimentam só de esperança
E ainda inventam dias de dança
Pra celebrar Já tocou tambor de guerra
Convocando a tribo inteira a cantar
É o som da nossa terra
Convocando o mundo inteiro a se amar se amar

E o barquinho vai, e a tardinha cai
E o barquinho vai, e a tardinha cai, triste!